Luz da Fé

cruz

“Luz da Fé” é a primeira Carta Encíclica do Papa Francisco, publicada a 29 de Junho. Aqui ficam algumas das reflexões que inspiram a Casa Velha.

Uma luz para a vida em sociedade

54. (…) Quantos benefícios trouxe o olhar da fé cris­tã à cidade dos homens para a sua vida em co­mum! Graças à fé, compreendemos a dignidade única de cada pessoa, que não era tão evidente no mundo antigo. No século II, o pagão Celso censurava os cristãos por algo que lhe parecia uma ilusão e um engano: pensar que Deus tivesse criado o mundo para o homem, colocando-o no vértice do universo inteiro. «Porquê pretender que [a verdura] cresça para os homens, em vez de crescer para os mais selvagens dos animais sem razão?» 46 «Se olhássemos a terra do alto do céu, que diferença se nos ofereceria entre as nossas atividades e as das formigas e das abelhas? » 47 No centro da fé bíblica, há o amor de Deus, o seu cuidado concreto por cada pessoa, o seu de­sejo de salvação que abraça toda a humanidade e a criação inteira e que atinge o clímax na en­carnação, morte e ressurreição de Jesus Cristo. Quando se obscurece esta realidade, falta o crité­rio para individuar o que torna preciosa e única a vida do homem; e este perde o seu lugar no universo, extravia-se na natureza, renunciando à própria responsabilidade moral, ou então preten­de ser árbitro absoluto, arrogando-se um poder de manipulação sem limites.

55. Além disso a fé, ao revelar-nos o amor de Deus Criador, faz-nos olhar com maior respei­to para a natureza, fazendo-nos reconhecer nela uma gramática escrita por Ele e uma habitação que nos foi confiada para ser cultivada e guarda­da; ajuda-nos a encontrar modelos de progresso, que não se baseiem apenas na utilidade e no lu­cro mas considerem a criação como dom, de que todos somos devedores; ensina-nos a individuar formas justas de governo, reconhecendo que a autoridade vem de Deus para estar ao serviço do bem comum.

(…)A fé ilumina a vida social: possui uma luz criadora para cada momento novo da história, porque coloca todos os acontecimentos em relação com a origem e o destino de tudo no Pai que nos ama.

46 Orígenes, Contra Celsum, IV, 75: SC 136, 372.

47 Ibid., 85: o. c., 136, 394.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s