Travessia com a Primavera

Primavera_PTVivemos tempos de deserto, embora o inverno se despeça amanhã. Todos estamos no mesmo barco, sem excepção. A consciência da Casa Comum tem-se vindo a tornar, na nossa vulnerabilidade, consciência como de facto tudo está ligado, como precisamos uns dos outros. Neste tempo de travessia do deserto, que torna tão viva a nossa pertença à História da Salvação, parte desse Povo que caminhava nas trevas, guiados por profetas, somos desafiados pelo Papa Francisco a, como S. José, sonhar. Sonhar o futuro, caminhando juntos até à Terra Prometida, até à Páscoa, atravessando o inverno, já alcançados pela Primavera. Uma Primavera para a natureza, ainda mais viva pelo abrandamento da nossa atividade. A fragilidade que vivemos é surpreendentemente bíblica, é uma quaresma desconcertante, que nos tem abalado, lavrado.

Sim, a Primavera já chegou, e quer animar a nossa travessia, a nossa espera.  A vida que surge forte e gloriosa, grita-nos a não ter medo, a ter confiança, a olhar as aves do céu e os lírios do campo…a verdade é que para a grande maioria de nós, neste tempo fechado num apartamento, com pouco espaço, sentir esta Primavera será mais (muito) desafiador.

Essa não é a minha realidade. Faço parte do grupo de maior risco, mas paradoxalmente, o meu deserto, o meu isolamento é o Paraíso, a Criação em festa na Casa Velha. No último post divulgávamos as atividades de Março, que trariam cá vários grupos e iniciativas. as conversas, os risos, as partilhas, os trabalhos na horta estão entregues aos muitos e belos pássaros que todos os dias me dão Sinfonias ao vivo. “A beleza é tão grande e nós somos tão frágeis…” (Daniel Faria, Livro do Joaquim). Esta beleza que faz a nossa taça transbordar, abençoa-nos, guia-nos nos vales tenebrosos. Este Grande Silêncio tem-me feito agradecer tantas coisas, entre as quais o inverno que passou. Aqui fica essa memória partilhada. Tem-me trazido também a urgência das palavras não ditas, ou a certeza dos silêncios a respeitar. Tem-me feito agradecer o Criador e a Sua misericórdia, sentindo a urgência de o partilhar.

Surgiu então a ideia de que a Casa Velha, lugar que nos lembra que “estamos neste mundo como num grande Templo”, pudesse ligar e despertar a Primavera a partir de todas as pequenas celas que é cada uma das nossas casas, comunidades, por esse mundo fora. Para sermos Luz no Mundo. Propomos então um  desafio até à Páscoa, lançado todas as manhãs com uma “janela de Primavera”. Pensámos que, para além de nos unir espiritualmente, pode ajudar a concentrar e ocupar toda a família num momento do dia, pode gerar uma grande partilha com esta Família alargada a que pertencemos e por fim, muito importante, será uma forma bonita e concreta de fazer Memória. Fazer Memória, é isto que vivemos na Páscoa, é isto que Jesus, nosso Bom Pastor nos pede e nos ensina.

Espalhem esta proposta por quem entenderem, por todas as redes, movimentos, pessoas a que estão ligados. Seremos canais de seiva, de Vida, unidos como ramos da Videira. A equipa Casa Velha garantiu a tradução desta proposta em inglês, francês e espanhol.

Acompanha-nos S. José, ele que tanto nos ensina a ser guardiões, a cuidarmos uns dos outros e da Terra que nos sustenta, com humildade e diligência.

Seguimos juntos esta quaresma, confiados na Sua presença e na Sua Paz.

Margarida Alvim

19.03.2020

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s